13 de mar de 2018

Publicado em:

Por ano, 640 mil toneladas de redes de pesca acabam nos mares

destaques


A World Animal Protection divulgou um relatório que aponta que as 15 maiores empresas de pescado do mundo precisam promover ações para acabar com a pesca fantasma – que é aquela realizada por equipamentos de pesca abandonados, perdidos e descartados, também conhecidos como petrechos fantasmas.

Esses materiais matam cruel e desnecessariamente milhões de animais marinhos (peixes, mamíferos, tartarugas) todos os anos. Segundo o relatório, 640.000 toneladas de redes de pesca são perdidas ou descartadas em nossos oceanos por ano. Além do alto impacto ambiental pela demora na decomposição desses equipamentos, até 600 anos, estima-se que 5 a 30% do declínio populacional de algumas espécies pode ser atribuído à pesca fantasma.



O que fazem as maiores empresas de pesca do mundo?

No relatório, as empresas foram classificadas de 1 a 5 em sua capacidade de enfrentar o problema dos equipamentos e da pesca fantasma: sendo nível 1 o melhor e o nível 5 o pior. Nenhuma dessas companhias alcançou o nível 1 e 2. “Nosso objetivo com esse relatório é chamar a atenção do setor para algo tão prejudicial aos animais. A ideia é que essas companhias integrem a gestão responsável e o gerenciamento de pesca nas estratégias de negócios”, afirma João Almeida da World Animal Protection.

Apenas três das 15 empresas alcançaram o nível 3, pois estabeleceram políticas para a gestão e manuseio de suas redes de pesca: Young’s Seafood, Thai Union e TriMarine. No nível 4 estão Bumble Bee Seafoods e Dongwon. Essas empresas contam com gerenciamento responsável de pesca em suas agendas, mas os dados sobre as ações e mudanças ainda são limitados.

As 10 empresas restantes, incluindo o gigante canadense High Liner Foods, cujos produtos de marca de varejo são vendidos nos Estados Unidos, Canadá e México, sob as etiquetas High Liner, Fisher Boy, Sea Cuisine e C. Wirthy, ocupam o nível 5 e não estão envolvidas com o tema. “Esperamos que essas empresas trabalhem duro para melhorar suas posições nos próximos anos. Afinal, além da questão ambiental, os consumidores já tratam o bem-estar animal como fator decisivo de compra”, declara João Almeida da World Animal Protection.

Com preocupação, o relatório mostra que 73% das empresas avaliadas não possuem uma posição clara sobre os petrechos e sobre a pesca fantasma. Nem mesmo reconhecem publicamente a questão.

Fonte: http://www.solam.com.br/blog/?p=5376

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: