6 de dez de 2017

Publicado em:

ANISTIA INTERNACIONAL REVELA: BRASIL É PAÍS MAIS PERIGOSO DO MUNDO PARA AMBIENTALISTAS

destaques



A Anistia Internacional divulgou ontem, 05, em Paris, um documento em que menciona o Brasil como o país mais perigoso do mundo para ambientalistas. Conforme notícia publicada pela Rádio França Internacional, a organização não governamental apresentou dados que apontam a morte de 58 ativistas de janeiro a agosto deste ano.

As mortes de ativistas que atuam contra o desmatamento e na defesa de trabalhadores sem terra e pequenos agricultores tornam-se preocupante, principalmente ao se comparar com os dados de mortes ocorridos no ano de 2016, onde foram identificadas 66 mortes durante todo o ano.

Para se ter uma ideia da representatividade desta quantidade de mortes identificada no País, a Anistia Internacional divulgou que neste mesmo ano de 2016 foram registrados um total de 200 mortes, relacionadas a ambientalistas, em todo o mundo.

O Brasil lidera uma lista que apresenta logo atrás países como a Colômbia, Filipinas, Índia e Honduras.

A ação de lobbys poderosos relacionados a interesses privados que possuem interesses na exploração irregular de recursos naturais, são os responsáveis por este tipo de crime e vem se agravando a cada ano, sem uma ação mais efetiva das autoridades locais.

Além disso, a ação policial de forma violenta no sentido de conter invasões ou na retomada de terras invadidas acaba resultando na maioria destas mortes, que dificilmente são apuradas, não gerando responsabilizações e punições a seus causadores.

O documento da Anistia Internacional intitulado “Ataques letais, mas evitáveis: assassinatos e desaparecimentos forçados daqueles que defendem os direitos humanos”, conclui ainda que “desde que o Programa Nacional para a Proteção dos Defensores de Direitos Humanos foi enfraquecido, em 2016” a situação brasileira apresentou piores indicadores, sendo até motivo de cobranças de fortalecimento de controles em maio de 2017, por parte do Conselho de Direitos Humanos da ONU em reunião realizada em Genebra.

Este documento emitido nesta data pela Anistia Internacional tem por objetivo se inserir na campanha anual do Dia Internacional de Defesa dos Direitos Humanos, celebrado no dia 10 de dezembro.

Fonte foto: Justiça Global - https://www.greenme.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: