6 de nov de 2017

Publicado em:

URUTAU OU URUTAGUA - Ave rara é encontrada por brigadistas no Parque Estadual Serra Verde

destaques
Nota do editor do site: há 40 anos aproximadamente, num local distante na Escarpa Devoniana nos Campos Gerais do Paraná, a noite, a ave aproximou-se do acampamento e como seu canto tétrico e  misterioso assustou-nos muito. Seu Gesuíno, "mateiro" da região, explicou-nos tratar-se do URUTAGUA (ou URUTAU). 

Bem recente um desses indivíduos foi resgatado pelo corpo de bombeiros em Curitiba-Pr.- Bairro Alto, enrolado em fios telefônicos. O amigo (parente) que me relatou conhecia a espécie quando morava no interior do Paraná.





Mais uma espécie rara foi registrada pela primeira vez no Parque Estadual Serra Verde, localizado na Região Norte de Belo Horizonte. O urutau ou mãe-da-lua, nome científico Nyctibius griseus, tem hábitos noturnos e sua principal característica é permanecer imóvel para se camuflar.

A ave raramente é vista nos grandes centros urbanos. O mérito do achado foi da equipe de brigadistas que, durante as rondas de prevenção a incêndios florestais, avistou o pássaro em uma área remota da unidade de conservação.

Segundo o geógrafo e monitor ambiental do parque, Miguel Filho, durante a ronda, um dos brigadistas o chamou para identificar uma ave diferente. “Ao chegar ao local, identifiquei que era um urutau. O curioso é que já fizemos várias trilhas à noite e nunca tínhamos avistado a espécie. Fomos encontrá-la justamente durante o dia, o que é ainda mais raro”, conta.

O monitor explicou alguns fatores levam a crer que a espécie não esteja só de passagem, mas provavelmente habitando a área da unidade. “Por ter sido avistada justamente durante o dia e pousada em uma árvore, acreditamos que a ave fixou moradia no parque. Isso demonstra a importância de se ter refúgios verdes em áreas urbanas”, acrescenta.

A espécie

O urutau tem uma característica única em aves, chamada de “olho mágico”. São duas fendas na pálpebra superior, que permitem que o animal fique imóvel por longos períodos, observando os arredores, mesmo de olho fechado. Ela também usa muito bem sua plumagem para se camuflar. Normalmente, se passa por um pedaço de madeira, um galho de árvore ou mesmo troncos partidos. Ainda é característico que o pássaro fique estático, não se assustando facilmente.

As aves dessa espécie medem aproximadamente 35 cm e pesam em torno de 16 gramas. Alimentam-se de insetos noturnos, como grandes mariposas, cupins e besouros apanhados em pleno voo. Além disso, são pássaros que têm o hábito de cantar à noite. Seu canto, inclusive, que muitos consideram triste, alimenta várias lendas.

Em tupi-guarani urutau significa ‘ave-fantasma’. Por isso, é considerado um animal misterioso. A espécie está muito arraigada à mitologia dos povos indígenas da Amazônia. Seu habitat natural inclui a maioria dos países amazônicos, como Bolívia, Peru, Brasil, Equador, Colômbia, Venezuela, Suriname e Guiana Francesa.

Os urutaus levam uma vida solitária, já que quase nunca são vistos em casal, a não ser quando se acasalam ou estão cuidando da cria, que abandonam depois de três semanas de nascimento. A ave põe somente um ovo, em cavidades de tocos ou galhos, a poucos metros acima do solo. Este é incubado por cerca de três dias e o filhote permanece no ninho em torno de sete semanas.

Canto do Urutau



Fonte: Agência Minas - http://espacoecologiconoar.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: