20 de nov de 2017

Publicado em:

20 DE NOVEMBRO É DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA - SALVE A NOSSA CULTURA AFROBRASILEIRA

destaques


Você sabe por que no dia 20 de novembro o Brasil comemora o Dia da Consciência Negra? A data foi escolhida para homenagear Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares e morreu em 20 de novembro de 1695. Entretanto, além de prestar essa justa homenagem a Zumbi, o dia de 20 de novembro simboliza a resistência do movimento negro até os dias de hoje.

Celebrar o Dia da Consciência Negra é uma forma de todo o Brasil lembrar da importância da cultura afrobrasileira na formação e constituição da nossa sociedade.

Nós sabemos que, historicamente, os negros, além de terem sido escravizados por quase três séculos, sendo tratados de forma desumana, até hoje ainda vivem à margem da sociedade brasileira, já que são as principais vítimas de mortes, encarceramento e preconceito.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil é o país com mais descendentes africanos fora da África, já que 54% da sua população é afrodescendente.

Zumbi - sua luta continua



Entre os séculos XVI e XIX, milhares de africanos foram escravizados em solo brasileiro. Zumbi, escravo mais conhecidos por nós, foi líder do Quilombo dos Palmares - quilombos eram lugares que serviam de refúgios para escravos que fugiam de seus "donos". No dia 20 de novembro de 1695, em um ataque promovido pelo bandeirante Domingos Jorge Velho à comunidade de Palmares, Zumbi acabou sendo assassinado e transformado em símbolo da luta contra a escravidão.

O dia 20 de novembro é uma oportunidade para fazer os brasileiros refletirem sobre os problemas enfrentados pela população negra no Brasil, sobretudo, para que brancos reflitam sobre os seus privilégios e reconheçam que a desigualdade social e econômica afeta, principalmente, os negros.

A data deve marcar não apenas a reflexão, mas a discussão de políticas públicas de inclusão com a participação de representantes da comunidade negra.

Salve a Nossa Cultura Afrobrasileira



A cultura afrobrasileira é extremamente rica e atinge todo o Brasil. Por exemplo, muitas das palavras que estão na nossa boca são originárias de línguas africanas, segundo uma pesquisa divulgada pelo aplicativo de idiomas Babbel:

1. Dengo
Segundo os dicionários, a palavra significa “lamentação infantil”, “manha”, “meiguice”. Contudo, a palavra de origem banta (atualmente Congo, Angola e Moçambique) e língua quicongo tem um sentido mais profundo e ancestral: dengo é um pedido de aconchego no outro em meio ao duro cotidiano.

2. Cafuné
Também do quimbundo vem a palavra cafuné, que significa acariciar/coçar a cabeça de alguém.



3. Caçula
Do quimbundo kazuli, que significa o último da família ou o mais novo.

4. Cachaça
A palavra tem origem na língua quicongo, do grupo banto (atualmente Congo, Angola e Moçambique). A cultura da cachaça no Brasil começou no tempo de escravidão, quando os africanos trabalhavam na produção de açúcar proveniente da cana. O método consistia em moer a cana, ferver o caldo obtido e, em seguida, deixá-lo esfriar. Desse processo, resultava a rapadura – produto que tinha como finalidade adoçar alimentos e bebidas. Quando o caldo fermentava, o açúcar da garapa se convertia em álcool.

5. Muvuca
Mvúka, de origem banta e língua quicongo, significa aglomeração ruidosa de pessoas como forma de lazer, celebração.

6. Cachimbo
Instrumento utilizado para fumar, geralmente, tabaco. A palavra deriva do termo kixima de uma das línguas bantas mais faladas em Angola: o quimbundo.

7. Moleque
Mu’leke significa “filho pequeno” ou “garoto”. Este era o modo que os quimbundos - angolanos do grupo banto - chamavam seus filhos.

8. Quitanda
A palavra tão conhecida por nós que designa o lugar onde compramos produtos alimentícios também vem do quimbundo kitanda.

9. Dendê
Este óleo tão usado em nossa culinária, o termo dendê que designa o óleo de palma vem do quimbundo ndende.

10. Fubá
E por fim, fubá vem de Fuba que na língua banta quimbundo designa a farinha feita de milho, base da alimentação africana e afro-brasileira com suas mil e uma receitas: para fazer angu, sopa, polenta, biscoitos, broas, bolos de fubá...

Vamos comemorar!



O Dia da Consciência Negra é feriado nacional desde 2003, mas nem todos os estados e cidades incluíram a data em seu calendário oficial. Independente disso, hoje é dia de comemorar, enaltecer, louvar a nossa cultura africana, a nossa história e o nosso povo afrobrasileiro.

Fonte: https://www.greenme.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: