14 de set de 2017

Publicado em:

Memória do líder indígena Angelo Kretã é reverenciada em evento no Paraná

destaques
Romancil Kretã, filho do Cacique Kaingang e articulador da campanha Não Fracking Brasil, participa da homenagem na UFPR e no Solar do Barão em Curitiba.


Angelo Kretã. Foto: Acervo Museu Paranaense


Por sua importância não apenas para os indígenas que tiveram suas terras demarcadas por sua intermediação, mas para a história política e os desdobramentos da questão indígena do Brasil, acontece em Curitiba entre 20 e 22 de setembro evento que resgata a vida e luta do Cacique Kaingang Angelo Kretã.

Com a participação de lideranças indígenas e pesquisadores, será reativada a Sala Angelo Kretã no Solar do Barão como um espaço para debates de temas relevantes sobre a questão indígena no contexto contemporâneo. Os debates acontecem na Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A mesa de abertura contará com a presença do filho do homenageado, o também Cacique kaingang Romacil Kretã, que persiste na luta pelos direitos dos povos indígenas e hoje se inspira em seu pai para atuar na coordenação executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB). Romancil também é coordenador para Povos Indígenas da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida – e integrou ao seu ativismo a luta contra a indústria do petróleo, o fraturamento hidráulico (fracking) e as mudanças climáticas.

“Nossas lutas de hoje não são diferentes das que meu pai travou em sua época. A diferença é que hoje estamos mais unidos, conscientes das ameaças e mobilizados para defender nossos territórios e direitos”, garante Romancil.

Para ele, “no caso da indústria do petróleo, se o homem branco quer morrer e matar seus filhos, que o faça. Mas nós índios não vamos permitir que a água e a terra sejam contaminadas pelo fracking”.


Romancil Kretã concede entrevista após protesto da COESUS durante a 13ª Rodada de Licitações da ANP realizada no Rio de Janeiro em 07 de outubro de 2015. Foto: COESUS/350Brasil


Líder eterno

Considerado a maior liderança indígena do Sul do país nos primórdios do movimento, o Cacique Kretã vivia na Aldeia Mangueirinha, no Sudoeste do Paraná. Por sua liderança incontestável foi eleito em 1976, em plena ditadura, o primeiro vereador indígena pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o que lhe garantiu projeção nacional.

Ao defender como parlamentar o que é de direito aos povos originários do Brasil, especialmente a demarcação de terras, Angelo Kretã era uma voz que dava eco a todas as demandas indígenas com carisma e determinação.

Sua morte prematura em 1980 num ‘acidente de carro’ numa estrada dentro da aldeia, causou grande comoção nacional. Diante da convicção das lideranças indígenas da época – e até hoje – que não ele foi vítima de uma emboscada, sua memória persiste e inspira novas lideranças na luta pelos direitos dos povos indígenas.

Por Silvia Calciolari


Serviço:



Em memória de Ângelo Kretã: Balanços e perspectivas sobre a questão indígena no Sul do Brasil



Abertura Oficial: Dia 20/09 (Quarta-feira) às 14h30m.

Local: Solar do Barão.

Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro, Curitiba – PR.

Retomada da Sala Ângelo Kretã!

Exposição de história e artesanato indígena.

Encontro entre lideranças indígenas e prefeitura de Curitiba.

Assinatura de documento com a proposta de ocupação da sala para eventos e cursos para a população indígenas e temas afins.

/

Mesa de Abertura: Dia 20/09 (quarta-feira) à noite (19hs)

Local: Anfi 100. Reitoria.

Tema: Angelo Cretã, liderança histórica e referência de luta.

Palestrantes:

* Paulo Afonso de Souza Castro (Mestre em Antropolgia. UFPR).

(Defendeu a dissertação: Angelo Cretã e a Retomada Das Terras Indígenas No Sul Do Brasil)

*Prof. Dra. Cecília Helm (Dean-UFPR).

* Romancil Kretã Filho.

*Sêo Ambrósio Kaingang. + Anciãos de Mangueirinha.

*Mediador. Ricardo Cid Fernandes (Prof. DEAN – UFPR)




Dia 21. Quinta-feira (Tarde) 14:30hs.

Tema 1: Os índios e a Cidade.

Local: Anfi 100. Reitoria.

*D. Belarmina. Xetá-Kaingan. (Aldeia urbana Kakané Porã).

*João Vítor. Fundação e projeto da CAPAI.

*Goretti Bussolo. Secretária de Direitos Humanos e Questão Indígena (Prefeitura de Curitiba).

*Eloy Jacyntho. Nhandewa Guarani.

*Mediador: Pedro Fortes. (Doutorando. Antropologia/UFPR).




Dia 21. Quinta-feira (Noite). 18:30hs

Tema 2: Conflitos e alianças na luta pela terra.

Local: Anfi 100. Reitoria.

*Verá Rivelino (Cacique Guarani. Aldeia Kuaray Haxá).

* Anciãos de Mangueirinha. Kaingangs e Guaranis.

* D. Mariluz. (Quilombo Paiol de Telha).

* Ener Vaneski Filho. Doutorando em Meio Ambiente e Desenvolvimento (UFPR – INCRA).

Mediadora: Sandra Corbari. Doutoranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento (MADE/UFPR).




Dia 22. Sexta-feira. (Tarde), 14:30hs

Tema 3: Mulheres Indígenas na região Sul.

Local. Anfi 400. Reitoria.

*Cacique Andréia (Guarani- Tupã Nhee Kretã).

* Kerexu. Eunice Antunes. Guarani. TI Morro dos Cavalos.

* Nyg Kuitá Kaingang. Pet-Indígena UFPR.

*Jaqueline Kuitá Jacintho. Kaingang. Enfermeira – CESAI.

*Mediadora: Josiele Spenassato (Mestra. DEAN-UFPR).




Dia 22. Sexta-feira. (Noite) 17hs.

Tema 4. Os indígenas e o Estado.

Local: Anfi 100. Reitoria.

*Derli Cardoso Fiuza (Procurador. UTFPR).

*Jefferson Sales (MPPR).

* Kretã Filho. Aldeia Tupã Nhee Kretã.

*Carlos Marés (Prof. Dr. Direito. PUC-PR)

*Mediador: Rafael Pacheco (Mestrando. DEAN -UFPR).




Promoção:

DEAN UFPR. MADE UFPR. PGFILOS-UFPR.



Apoio:

Prefeitura de Curitiba

Prefeitura de Mangueirinha

Solar do Barão

Museu Paranaense

Xondaro Arte indígena

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: