31 de ago de 2017

Publicado em:

Chuvas diluvianas matam mais de 1200 na Índia, Bangladesh e Nepal

destaques
Estima-se que 400 milhões de pessoas foram diretamente afetadas pelas inundações e deslizamentos de terra.


Mulher atravessa área alagada no estado de Bihar na Índia em 22 de agosto de 2017. (Cathal McNaughton/Reuters)

Mais de 1200 pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas de monções que castigam a Índia, Nepal e Bangladesh.

Estima-se que 400 milhões de pessoas foram diretamente afetadas pelas inundações e deslizamentos de terra resultantes do fenômeno, que costuma durar de junho a setembro.

Metade das vítimas são da Índia, onde centenas de vilarejos foram arrasados pelas enchentes. Equipes de resgate nacionais e internacionais se empenham para auxiliar os sobreviventes.


Bebê com desidratação é resgatado de uma vila isolada pela enchente em Bihar, India, 23/08/2017. (Cathal McNaughton/Reuters)

A alta dos níveis dos rios afetou várias infraestruturas importantes, como estradas, rede elétrica e serviços de abastecimento de água, e isolou muitas áreas, dificultando a chegada de alimentos, remédios e socorro.

Segundo as Nações Unidas, as chuvas de monções deste ano são as piores em uma década no Sul da Ásia.

Nesta terça-feira, Mumbai, capital financeira da Índia, simplesmente parou. Em menos de 12 horas, choveu o o equivalente a 11 dias de precipitações consecutivas.


Pessoas resgatadas de uma vila em Motihari, estado de Bihar, na Índia, em 23/08/2017. (Cathal McNaughton/Reuters)

País baixo e densamente povoado, Bangladesh sofre cronicamente com inundações. Mas as chuvas deste ano deixaram mais de um terço de seu território submerso, segundo o The New York Times.

No Nepal, pelo menos um milhão de casas foram destruídas pelas enxurradas, que afetaram estradas, pontes e invadiram escolas e hospitais.

A catástrofe no Sul da Ásia se desenrola ao mesmo tempo em que os Estados Unidos enfrentam uma das piores enchentes em mais de 50 anos, que castigam principalmente o estado do Texas.

Segundo os cientistas, eventos climáticos cada vez mais extremos e frequentes, como furacões e enchentes históricas, são sintomas das mudanças climáticas em um mundo em aquecimento.

Fonte: http://exame.abril.com.br/mundo

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: