1 de jun de 2017

Publicado em:

GLICEMIA - ALTA E BAIXA: O QUE SÃO E COMO CORRIGI-LAS

saúde


A glicose é um elemento essencial para o organismo. Ela é a principal fonte de energia do corpo. Atua, a título de comparação, como uma espécie de combustível. E todo mundo sabe que veículo sem combustível não funciona.

A glicose é obtida por meio da metabolização dos carboidratos ingeridos. Para fazer todo esse processo de distribuição de glicose pelo corpo todo, entra em cena um outro componente essencial: o hormônio insulina, que fica localizado no pâncreas, e é responsável por regular a quantidade de açúcar no sangue, mantendo-a estável, entre 70 e 100 mg/dL.

A Glicemia é o termo técnico para se referir aos níveis de açúcar que existem no sangue. Isso por que pode haver muita glicose na corrente sanguínea, muito mais do que o corpo precisa, ou pouca glicose. Em ambos os casos, é necessário intervenção para que o organismo volte aos padrões normais, tendo em vista que o excesso ou falta de glicose podem ser fatais para o corpo humano.

Por isso tudo, é importante conhecer bem o que é cada uma dessas condições para saber o que fazer.

O que é hipoglicemia ou, glicemia baixa?

A hipoglicemia acontece quando o organismo produz menos glicose do que o necessário (abaixo de 60 mg/dL). Embora seja mais comum em pessoas que têm diabetes, ela pode acontecer em decorrência de outros motivos.

Nos diabéticos, a queda da glicose é causada por um desequilíbrio entre as doses necessárias de insulina e o que foi consumido em termos de carboidratos.

Embora exista uma prescrição da quantidade ideal de insulina para cada pessoa, essa dose pode variar, a depender da alimentação. Pode acontecer também esse desajuste quando o diabético faz atividades físicas intensas, depois da medicação.

á nos casos de baixa glicose no sangue em não diabéticos, há uma série de motivos para que isso ocorra, entre elas:

Passar um longo período sem se alimentar

Ingerir álcool em excesso, pois bebidas alcoólicas quando consumidas com o estômago vazio podem prejudicar o bom funcionamento do pâncreas, e, consequentemente, a produção de insulina

Medicamentos ingeridos acidentalmente, como os remédios para diabetes, e também alguns fármacos específicos (como os de tratamento da malária) podem reduzir a glicose no sangue;

Doenças endocrinológicas, principalmente em crianças, como mau funcionamento das glândulas adrenais;

Algumas pessoas que se submeteram a cirurgia bariátrica podem enfrentar o distúrbio também.

Os principais sintomas da glicemia baixa são:

  • tremores
  • suores frios
  • fome
  • sono
  • palpitação
  • tontura
  • dificuldade de raciocinar
  • formigamento ao redor da boca
  • confusão mental
  • convulsão, perda de consciência e até o coma (em menor probabilidade)


O que é hiperglicemia ou, glicemia alta?

A hiperglicemia é justamente o oposto da hipoglicemia. É o excesso de glicose no sangue.

Considera-se excesso quando a glicose na corrente sanguínea ultrapassa 200mg/dL. Pacientes com diabetes, que ainda não sabem que têm a doença, podem descobrir por meio da hiperglicemia, tendo em vista que a diabetes, antes de apresentar 180mg/dL não costuma apresentar sintomas.

Muitas pessoas só sabem do problema quando os níveis de glicose atingem esses índices alarmantes. Há ainda a possibilidade de diabéticos já diagnosticados apresentarem o aumento da glicose no sangue, em decorrência da desatenção com o tratamento correto.

O estresse e algumas outras doenças também podem provocar hiperglicemia.

Os principais sintomas da glicemia alta são:


  • sentir muita fome e sede
  • urinar em excesso
  • ter nâuseas
  • sonolência
  • fraqueza
  • tonturas e emagrecimentos sem explicação
  • vômitos e dificuldades respiratórias


Como agir em casos de hipoglicemia ou hiperglicemia

Os casos de hiperglicemia e hipoglicemia devem ser tratados sempre por um profissional. Ele fará os exames clínicos necessários para diagnosticar, encontrar a causa e fazer o correto tratamento.

Problemas nos níveis de glicose no sangue são sintomas de que algo não está indo bem no organismo e podem – ou não – significar um problema mais sério.

Nos casos de hipoglicemia em diabéticos, o importante é monitorar constantemente os níveis de glicose no sangue, fazer uma alimentação adequada e tomar a dosagem certa da medicação, bem como evitar bebidas alcoolicas.

Já nos casos de hipoglicemia em não diabéticos, é necessário investigar a causa. Se a baixa da glicose for leve, uma simples ingestão de açúcar no organismo pode ser suficiente. No entanto, algumas vezes, pode ser necessário tomar medicamentos por via intravenosa, quando os níveis de glicemia baixa estão mais severos.

É necessário verificar o motivo da hipoglicemia e, como dito anteriormente, somente um médico é capaz de descobrir a causa.

A hiperglicemia costuma indicar que existe um quadro de diabetes, mas existem exceções. Por isso, caso apresente os sintomas mencionados, procure um profissional para que ele faça a correta avaliação.

Fonte: https://www.greenme.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |:

Fechar