6 de jun de 2017

Publicado em:

Conheça o rio da Amazônia que mata tudo que cai em suas águas

curiosidades


Há um rio fervente na Floresta Amazônica, na parte central da região peruana, que é capaz de matar qualquer coisa que caia dentro dele. De acordo com a National Geographic, não é exatamente fácil chegar até ele. Para isso, é necessário primeiro uma hora de voo até a cidade de Pucallpa, a maior da Amazônia peruana central, em seguida, duas horas de carro até o rio Panchieta, onde serão necessários mais 30 minutos de barco até uma das pontas do Rio Fervente.

Segundo Andres Ruzo, um jovem explorador da National Geographic, o rio é um lugar de grande poder espiritual. “Um lar para espíritos da selva extremamente poderosos, onde somente os xamãs iam porque outras pessoas tinham medo”. Não são muitos os povos da região que sabem, mas este rio quente curiosamente começa de um afluente frio. Grande parte de seu fluxo é tão quente que poderia matar um ser humano. Muitos animais se tornam vítimas de suas águas quando tentam satisfazer a sede.

Segundo Ruzo, a temperatura média do rio quando é de 86°C. Ele possui 25 metros de largura e seis de profundidade. Sua água extremamente quente corre por cerca de 6,24 quilômetros. Curiosamente, o sistema vulcânico mais próximo dele fica a 700 quilômetros de distância, o que acrescenta ainda mais mistério à origem de sua alta temperatura. Ruzo, que passou cinco anos estudando o rio Fervente, escreveu um livro sobre o assunto (The Boiling River).



Nele, o pesquisador contou que a temperatura das águas pode ser resultante de fontes termais, embora teorias sugiram que essa característica pareça resultado de um acidente em um campo de exploração de petróleo – já que ele está localizado a apenas 2 quilômetros do mais antigo campo de petróleo ativo, que pertence à Maple Energy, na Amazônia peruana.

Contudo, a empresa petrolífera, ao que tudo indica, é responsável por proteger a selva ao redor do rio Fervente. Isso ocorre por que empresas deste ramo podem enfrentar problemas sérios, como perda de concessão, se não cumprirem com questões ambientais. Então, é dever da Maple Energy se certificar de que o verde ao seu redor permaneça verde. Agora, a quem estiver interessado em nadar nas águas do rio Fervente, Ruzo aconselha que só é possível quando ocorrem chuvas fortes. Neste caso, a água fria se mistura com a quente, amenizando a temperatura.

Fonte: http://www.jornalciencia.com/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: