9 de jan de 2017

Publicado em:

Só com menos carros nas ruas poluição diminuirá

saúde


Em 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório demonstrando que a poluição urbana está muito acima dos limites recomendados. Por ser a poluição a causa de muitas doenças e casos de morte, ela já é considerada um problema de saúde pública.

Por isso, é fundamental diminuir a quantidade da concentração do ozônio, poluente concentrado nas metrópoles de todo o mundo. A única solução para reduzir a emissão do poluente é diminuindo a quantidade de carros nas ruas, aponta o estudo do pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) Júlio Barboza Chiquetto.

Plantar árvores não resolve o problema

A tese de doutorado de Chiqueto simulou vários ambientes como uma cidade repleta de árvores e uma cidade com menor frota de veículos, chegando à conclusão de que mesmo que nossas cidades se transformassem em florestas, a qualidade do ar continuaria sendo péssima com a quantidade de carros que nelas circulam.

O ozônio, que é um dos principais poluentes encontrados nas cidades, é formado pela reação química de gases emitidos pelos automóveis e a luz solar, causa doenças respiratórias e complicações cardiovasculares, segundo Marcos Abdo Arbex, pesquisador do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da USP. Na cidade de São Paulo, estima-se que ocorram cerca de 7 mil mortes decorrentes da poluição, segundo informa o UOL.

O especialista em química atmosférica e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Sérgio Machado Correa demonstra o problema com a seguinte conta: "Uma moto emite mais de dez vezes o que um carro emite em termos de poluentes. Ou seja, um milhão de motos polui mais do que 7 milhões de carros".

Solução é investir em transporte de massa

A alternativa apontada por especialistas é que os governos devem investir em transportes públicos, para que assim a população deixe de usar o carro - o que, aliás, também reduziria os engarrafamentos que afligem os moradores das cidades brasileiras.

Um exemplo bem-sucedido desse investimento é a construção de linhas de metrô, como ocorreu no Rio de Janeiro com a inauguração da linha expandida para a Barra da Tijuca, que, segundo Correa, fez o engarrafamento diminuir bastante.

O poder público também deve assegurar uma melhora nos padrões de qualidade do ar para os ônibus. Aqui no Brasil, o padrão é de 100 a 500 vezes menor do que o aplicado na Europa, por exemplo. Só com o investimento do setor público e com mudanças mais rigorosas na legislação podemos vislumbrar um ar mais limpo e respirável.

Escrito por Gisella Meneguelli - https://www.greenme.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |:

Fechar