5 de nov de 2016

Publicado em:

Cápsulas orgânicas substituem caixões e transformam cemitério em floresta

destaques
Ao invés de lápides, os enterros dariam origem a uma nova vida.

O intuito é de que os cemitérios fiquem cheios de árvores e que a família e os amigos do falecido sejam os responsáveis pelo cuidado da planta. | Foto: Divulgação

Uma dupla de artistas italianos pretende modificar o conceito tradicional de cemitérios. No lugar dos caixões comuns, eles propõem a utilização de uma capsula biodegradável, coberta por uma árvore. Assim, ao invés de lápides, os enterros dariam origem a uma nova vida.


A ideia é assinada pela dupla Anna Citelli e Raoul Bretzel. No site do projeto, a dupla explica que o interesse dos dois é ajudar a resgatar a sociedade que vive atualmente distante da natureza. Para alcançar este objetivo, eles escolheram um tema considerado um tabu: a morte.

“Os mortos não podem ser apenas um problema técnico, não podem ser tratados com um tabu. Independente da religião e cultura a que pertencemos, a morte é um fenômeno biológico, é a mesma coisa para todos. Nenhum designer pensa em caixões, isso se torna uma forma de refletir sobre o quão distantes estamos da mãe natureza”, diz o site.

A proposta de Anna e Bretzel é transformar os cemitérios em verdadeiras florestas sagradas. Para isso, eles criaram a Capsula Mundi. Com o formato de um ovo gigante, o produto exerce a mesma função de um caixão. O seu grande diferencial é a matéria-prima. Ele não é feito em madeira, assim não promove o desmatamento. O material usado pelos designers é um amido, feito a partir de plantas sazonais e 100% biodegradável.

A proposta não para por aí. Para que o conceito seja completo, a morte também deve representar uma nova vida, memórias e cuidado. Assim sendo, a pessoa escolhe a sua árvore preferida, desde que seja nativa das regiões em que o produto é disponibilizado, e começa a cuidar dela ainda em vida. Após morrer, a pessoa é colocada em posição fetal dentro de uma Capsula Mundi e enterrada. Acima dela é plantada também a sua própria árvore.


O intuito é de que os cemitérios fiquem cheios de árvores e que a família e os amigos do falecido sejam os responsáveis pelo cuidado da planta, como forma de guardar a lembrança, ao mesmo tempo em que troca a morbidez de um cemitério pela bela paisagem de uma floresta.

Redação CicloVivo

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: