2 de out de 2016

Publicado em:

Flores comestíveis se popularizam cada vez mais na gastronomia brasileira

curiosidades
É possível cultivá-las em pequenos jardins e até mesmo dentro de casa.

Cada espécie de flor confere sabores diferentes aos pratos. | Foto: Divulgação Isla Sementes

Em diversos países o uso de flores comestíveis já é uma prática comum. No Brasil, o seu uso na gastronomia vem se popularizando dia após dia. Essa tendência se dá principalmente através da utilização feita por chefs que as usam para colorir e ornamentar suas criações deixando os pratos com uma apresentação impecável. Contudo, para experimentar não é necessário ir a restaurantes. Hoje, já é possível encontrar as flores em feiras e supermercados. E, além disso, é possível cultivá-las em pequenos jardins e até mesmo dentro de casa.

É importante destacar, contudo, que nem todas as flores são utilizadas para fins gastronômicos e por isso é necessário saber quais são as melhores opções para esse fim. Roberto Lee, Gerente de Desenvolvimento de Produtos da ISLA Sementes, pioneira na América Latina no desenvolvimento, produção e comercialização de sementes, observa que existe uma grande variedade de flores comestíveis. “Na ISLA temos mais de 30 espécies diferentes cada uma com sabor característico que deve ser levado em conta na hora da escolha”, explica ele. “O importante é plantarmos nossas próprias flores, compra-las em lojas especializadas ou hortifrúti para não ter erro do que pode, ou não, ir para o prato” alerta.

Segundo o especialista, as mais procuradas para fins gastronômicos são: Amor Perfeito; Capuchinha; Tagete, Caliopsis, entre outras. Cada uma delas confere sabores diferentes aos pratos e por isso é importante pesquisar antes de consumir. “As begônias tem sabor ácido parecido com limão. Já as capuchinhas dão um toque picante e levemente apimentado (lembra o agrião). As flores de abóbora são adocicadas; O amor-perfeito, além de decorar e colorir pratos, tem sabor adocicado inigualável; a calêndula é picante e muito usada como açafrão; a cravina que lembra cravo-da-índia é também levemente adocicada e, para finalizar, tem os girassóis com sabor agridoce. Isso para citar alguns exemplos”, dá a dica.


Kaki Melo, hoje responsável pela concepção de cardápios de seu catering e atuante no segmento hoteleiro como crítica gastronômica, diz que sempre insere flores comestíveis na criação de pratos e garante que são um sucesso. Ela frisa que além da plástica linda que elas emprestam aos pratos elas possuem sabores peculiares que dão mais assinatura as criações.

Outro ponto a ser levado em consideração é o valor nutricional. “Estudos apontam sua excelente composição nutricional e a presença de compostos fenólicos, a exemplo dos flavonoides e dos carotenoides”, afirma a nutricionista Isabel Vieira que também dá dicas de pratos que podem ser feitos em casa utilizando as flores.

Fonte: http://ciclovivo.com.br/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: