14 de set de 2016

Publicado em:

Evento em Montevidéu marca lançamento da Coalizão Latinoamericana contra o Fracking

destaques
Encontro de parlamentares e representantes da sociedade civil de países da América Latina faz parte da programação paralela da nona sessão da Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americano (Eurolat).


Com intuito de compartilhar experiências e ações de sucesso, e unir forças para pensar e propor estratégias conjuntas de combate ao fracking na América Latina, a 350.org e o Parlamento Uruguaio realizam o evento “Os Perigos do Fracking para a América Latina e Lançamento da Coalizão Latinoamericana contra o Fracking pela Água, Clima e Agricultura Sustentável”. O encontro reunirá parlamentares de países como Brasil, Argentina e Uruguai e será realizado na próxima segunda-feira (19), na sede do Palácio Legislativo de Montevidéu, Uruguai.

A Coalizão Latinoamericana é uma iniciativa de expansão regional da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida. O evento faz parte da programação paralela da Nona Sessão Plenária da Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana (Eurolat), que acontece de 19 a 22 de setembro. O evento contará com a participação de 16 renomados oradores, entre eles a senadora uruguaia Carol Aviaga, o senador brasileiro Roberto Requião, presidente da Eurolat, e a diretora da 350.org Brasil e América Latina, Nicole Figueiredo de Oliveira.

O método do fraturamento hidráulico para extração de gás de xisto, mais conhecido como fracking, tem causado enormes prejuízos ambientais, sociais e econômicos nos locais onde já é utilizado, como Argentina e Estados Unidos. Com a baixa do preço do petróleo, a técnica ganha força na indústria dos hidrocarbonetos, tendo na América Latina uma de suas principais portas de entrada. Porém, além de causar problemas de saúde a humanos e animais, poluir o solo, a água e o ar, e impactar diretamente a agricultura, ela também intensifica as mudanças climáticas, uma vez que libera sistematicamente o metano, um dos gases causadores do efeito estufa, 25 vezes mais poluente do que o dióxido de carbono (CO2).

Se a sociedade e os governos não se mobilizarem para conter a entrada dessa atividade em seus respectivos países, não só as comunidades locais sofrerão os impactos, como também o restante do mundo. A prática do fracking vai de encontro ao movimento global de combate às mudanças climáticas e rumo a uma economia de baixo carbono, com alternativas energéticas justas, limpas, sustentáveis e renováveis.

Num momento em que o planeta vivencia impactos severos de eventos decorrentes da alteração da temperatura terrestre, e que países em todo o mundo aprovaram um novo Acordo Global para o clima, torna-se cada vez mais oportuno e prioritário debater e levar questões como as ameaças do fraturamento hidráulico à opinião pública, a fim de combater mais essa investida da indústria dos combustíveis fósseis.

Serviço

O que: Evento “Os Perigos do Fracking na América Latina e Lançamento da Coalizão Latinoamericana contra o Fracking pela Água, Clima e Agricultura Sustentável”

Quando: 19 de setembro de 2016, às 18h (horário local)

Onde: Anexo do Palácio Legislativo, Sala N° 17, Montevidéu, Uruguai

Para saber mais acesse: http://www.peligrosdelfracking.org/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: