15 de set de 2016

Publicado em:

Brasileiro usa garrafas PET para iluminar regiões pobres no Brasil

destaques
ONG tem o objetivo de levar para as comunidades mais carentes uma fonte de luz econômica e sustentável.

A ONG tem o intuito de levar os postes de PVC para os lugares menos favorecidos e comunidades carentes.

Durante seu intercâmbio no ano de 2013 em Nairóbi, Quênia, o administrador Vitor Belota Gomes, de 27 anos, ficou impressionado com a falta de energia elétrica que existia em casas e escolas da região.

Foi então que ele resolveu achar uma solução de baixo custo para ajudar a população do país e se deparou com a ONG a Liter of Flight, que utilizava garrafas PET para fornecer iluminação.

A solução foi desenvolvida durante o apagão de 2001, pelo brasileiro Alfredo Moser, e a ideia foi tão genial e inovadora que se espalhou para outros países. Ela consiste em encher as garrafas com água e alvejante, para que a luz solar incida sobre o líquido e, por refração na água, gere iluminação ao ambiente. Para que o processo seja concluído, as garrafas são instaladas no telhado e podem chegar a fornecer 55 watts de luz, com a vantagem de não emitir gás carbono.

Depois que Gomes voltou ao Brasil, ele fundou a ONG Litro de Luz, para poder levar essa técnica a lugares menos favorecidos e comunidades mais vulneráveis. Porém, o que ele não imaginava era que iria encontrar dificuldades: “Diziam: ‘quem é esse playboy que quer subir no meu telhado e instalar uma garrafa?’”, contou ao site Razões para Acreditar.

Ele também disse que a maior reclamação dos moradores dessas comunidades era a falta de energia nas ruas e não em suas casas. Foi aí que ele decidiu mudar o foco da ONG, passando a desenvolver soluções para a solução desse problema.

Uma delas foi a criação do poste de PVC, que possui uma placa fotovoltaica que carrega uma bateria com capacidade para armazenar até 32 horas de energia e acende pequenas lâmpadas de LED dentro das garrafas PET. Esse novo sistema já foi instalado em comunidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Florianópolis.

Região Norte será beneficiada pelo projeto

Agora o próximo passo de Gomes é levar seu projeto sustentável para a cidade de Caapiranga, um município de 12 mil habitantes localizado no Amazonas. Em entrevista concedida ao Folha de S. Paulo, ele ressaltou: “Vamos entrar na Amazônia com projeto de longo prazo. É a região mais carente de energia, onde muitos dependem de geradores a diesel que só funcionam algumas horas por dia.”

A ONG conseguiu instalar mais de 1 milhão de garrafas diurnas, mais de 25 mil garrafas noturnas e mais de 3 mil postes de luz, ajudando 21 países no seu desenvolvimento de forma econômica e ecologicamente sustentável.

Fonte: http://www.pensamentoverde.com.br/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |:

Fechar