30 de jul de 2016

Publicado em:

Será que o ser humano conseguirá, de fato, controlar os fenômenos climáticos?

destaques

Faça chuva ou faça sol, é mais complicado do que pensávamos. Em 1951, o psicanalista austríaco Wilhelm Reich foi um dos primeiros a tentar deter o controle do clima através do desenvolvimento de um dispositivo chamado “Cloudbuster”. A estrutura de iluminação foi projetada para absorver “orgone” – termo da pseudociência que descreve um tipo de força vital – e, hipoteticamente, causar a formação de nuvens e chuva. Infelizmente para ele, não funcionou.

Mais recentemente, durante os Jogos Olímpicos de Verão do ano de 2008 em Pequim, o governo chinês tomou algumas medidas bastante severas para se certificar de que não haveria chuva durante seu desfile. Para as cerimônias de abertura 08 de agosto, foi relatado que 1.100 foguetes foram disparados para o céu, carregados com produtos químicos especiais para evitar chuva na cidade de Beijing.

Havia uma chance de 50 por cento da chuva naquele dia, e enquanto não houve ocorrências em Pequim, chuva foi registrada em Baoding, uma cidade vizinha. Então, os foguetes funcionam? Impossível dizer, e até agora ninguém se apresentou com uma explicação convincente a respeito de como os foguetes podem ter interferido na chuva.

Por outro lado, a técnica de semear nuvens para produzir chuva, tem sido bastante pesquisada. Os produtos químicos usados ​​na “semeadura de nuvens” envolvem iodeto de prata e dióxido de carbono congelados. Eles são geralmente pulverizados sobre a parte superior das nuvens para aumentar a precipitação. A técnica tem sido usada nos EUA desde a década de 1950 e Rússia, China, Índia e Austrália também têm feito experiências com o método para tentar aumentar chuvas. Mas isso não significa que seja eficaz. O Conselho Nacional de Pesquisa dos Estados Unidos divulgou um relatório, em 2004, afirmando que ainda não há provas científicas de que a semeadura de nuvens realmente funcione.

Prevenção de tempestades e alteração de furacões já também foram testadas em todo o mundo. O documentário de 2007 “Como Parar um Furacão” abordou algumas das maneiras mais peculiares que os cientistas desenvolvem para acabar com estes desastres naturais. Nele, Robert Dickerson, um pesquisador de armas conceituado, na Sede do Centro Nacional de Furacões dos EUA, em Miami, diz que acredita ser possível alterar furacões usando pulsos de laser de alta intensidade.

Um meteorologista do mesmo centro, William Gray, acredita que petróleo queimando em barcaças no trajeto de um furacão poderia atrasá-lo.

Embora tentemos controlar o clima, ainda não alcançamos sucesso. Enquanto alguns cientistas argumentam que estamos à beira da descoberta, na realidade, estamos há muitas décadas de distância de dominar esta capacidade de “brincar de Deus”. Até lá, contentemo-nos com nossa habilidade de prever corretamente o tempo – na maioria das vezes.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Richard Walker / Flickr ]

Fonte: http://www.jornalciencia.com/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: