28 de jan de 2016

Publicado em:

Mais de 1 milhão de m³ de rejeitos deslizaram de Fundão, diz Ibama

destaques
Lama vazou dentro de área de barragens da Samarco em Mariana (Foto: Reprodução/TV Globo)
Lama se movimentou em área da empresa nesta quarta-feira (27). Funcionários foram retirados às pressas da mineradora.

Mais de um milhão de metros cúbicos de rejeitos de minério se deslocaram da Barragem de Fundão, nesta quarta-feira (27), segundo o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A mineradora Samarco – cujas donas são a Vale e a anglo-australiana BHP – não confirma o volume de material que se deslocou da barragem e disse que ainda está fazendo o levantamento.

A Samarco explicou o ocorrido como um deslocamento de “massa residual” (leia nota na íntegra ao fim da reportagem). O episódio aconteceu na mesma barragem que se rompeu no dia 5 de novembro de 2015. O desastre, que completa quase três meses, deixou 17 mortos e dois desaparecidos.
Nesta quarta-feira (27), por segurança, 450 funcionários que trabalhavam em obras foram retirados às pressas do complexo de barragens. Segundo a empresa, a ocorrência aconteceu dentro da área das barragens, entre Fundão e Santarém, e não houve vazamento externo. O deslocamento de lama ocorreu, conforme a mineradora, por causa das chuvas dos últimos dias.

Uma equipe técnica do Ministério Público Estadual esteve ontem no local. “Não foi um pequeno movimento não. Houve um volume expressivo de material que se deslocou”, disse o promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto. Equipes da Defesa Civil Estadual, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros também foram a Mariana.

O governo de Minas, por meio de nota, comunicou que equipes da Defesa Civil estadual e da Polícia Militar também foram enviadas ao local. De acordo com o executivo, a ocorrência foi registrada por volta das 12h e foi emitido um alerta amarelo, que é voltado a segurança dos trabalhadores.

Representantes do Núcleo de Emergências Ambientais (NEA) da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) foram deslocados para o local para fazer uma avaliação ambiental da ocorrência.
Segundo a Samarco, as estruturas das barragens de Germano e Santarém permanecem estáveis com base no continuo monitoramento.

Na semana passada, o superintendente do Ibama disse que o material depositado na barragem de Fundão estaria atingindo o meio ambiente. "Dentro da barragem rompida de Fundão permanecem lá dentro 20 milhões de metros cúbicos. Eles estão numa área totalmente degradada, expostos à chuva e ao carreamento desses rejeitos. Então, está havendo um contínuo fornecimento de rejeito aos rios", disse o superintendente Marcelo Belisário.

Sobre a informação do Ibama de que os rejeitos ainda estão indo para os cursos d'água, a mineradora informou que a construção de diques servirá para conter o carreamento de sedimentos durante o período de chuvas. As ações ainda preveem a reconstituição das margens e das calhas dos cursos d'água.


Funcionários precisaram ser retirados da área de trabalho após deslocamento de lama em barragem da Samarco em Mariana (Foto: Reprodução/TV Globo)
Tragédia em novembro
A Barragem de Fundão da mineradora Samarco se rompeu no dia 5 de novembro de 2015. O distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, foi o mais afetado. A enxurrada de lama também atingiu cerca de 40 cidades em Minas e no Espírito Santo. O desastre ambiental deixou 17 mortos e dois desaparecidos.

Leia a íntegra da nota da Samarco
A Samarco informa que ocorreu, na tarde de hoje, 27 de janeiro, uma movimentação de parte da massa residual da Barragem de Fundão devido as chuvas das últimas semanas.

De forma preventiva e seguindo seu Plano de Emergência, os empregados, que atuam próximo à área afetada, foram orientados a deixar o local.

Não houve a necessidade de acionamento de sirene por parte da empresa. As defesas civis de Mariana e Barra Longa foram devidamente informadas.

Ressaltamos que o volume deslocado permanece entre a barragem de Fundão e Santarém, dentro das áreas da Samarco. A Samarco reafirma que as estruturas das barragens de Germano e Santarém permanecem estáveis com base no continuo monitoramento.

Bombeiros sobrevoaram região onde houve o deslocamento de lama (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros)Rejeito de minério escorreu na barragem de Fundão para área interna da Samarco (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros)
Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais



Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: