28 de jan de 2016

Publicado em: ,

Dez perguntas sobre o zika vírus

destaques saúde

Entenda como a doença é transmitida, quais os riscos, como se prevenir e sua relação com a microcefalia.

A epidemia de zika tomou proporções internacionais. No último 15 de janeiro, os Estados Unidos orientaram mulheres grávidas a não visitarem o Brasil e outros países infectados pelo vírus.Outros 13 países da América Latina já confirmaram apresentar casos em seus territórios. No Brasil, até o último dia 11, 3.530 casos de microcefalia causados, provavelmente, pela doença foram registrados e 46 óbitos de bebês estão sendo investigados. Diante do aumento de casos, preparamos uma lista com dez respostas sobre o zika vírus e sua relação com a microcefalia.

1. O que é o zika vírus?

É um vírus da família da dengue e da febre amarela. Ele foi descoberto pela primeira vez na floresta de Zika, em Uganda, em 1947, em macacos monitorados cientificamente para o controle da febre amarela. Até 2007, entretanto, ele era relativamente desconhecido, até que surgiu um grande surto na ilha de Yap e em outras ilhas próximas aos Estados Federados da Micronésia (acima da Austrália), com 8.187 afetados. Entre outubro de 2013 e fevereiro de 2014, um novo surto atingiu a Polinésia Francesa, com 8.264 casos suspeitos.

2. Como ele é transmitido?

O principal modo de transmissão é por meio do mosquito Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue. Mas há relatos de transmissão sexual (ele se mantêm no esperma por mais tempo), perinatal (da mãe para o feto) e sanguínea. O vírus não é transmitido pela amamentação.

3. Quais são os principais sinais e sintomas da doença?

A grande maioria das pessoas infectadas (estima-se que 80%) não manifestam a doença. Mas, quando os sintomas são presentes, eles se caracterizam por manchas vermelhas na pele, febre intermitente, manchas nos olhos, dores musculares, nas articulações e de cabeça. Com menos frequência, foram registrados edema, dor de garganta, tosse, vômitos e presença de sangue no esperma. Os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente entre três e sete dias. As dores nas articulações, porém, podem persistir por até um mês.

4. Há tratamento para o zika vírus?

Não existe tratamento para a doença. Os sintomas podem ser controlados com o uso de paracetamol ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. No caso de erupções na pele, os anti-histamínicos podem ser considerados. É desaconselhável o uso ou a indicação de ácido acetilsalicílico e outras drogas anti-inflamatórias em função do risco aumentado de complicações hemorrágicas.

5. Há vacina para prevenir a doença?

Ainda não há uma vacina contra o zika vírus, apenas para a dengue. No último dia 15, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, reuniu-se com o Instituto Butantan para conversar sobre a realização de uma vacina e outros dois laboratórios, o Evandro Chagas e o Bio-Manguinhos, também estão em busca de parcerias para o desenvolvimento. No entanto, pode demorar ao menos dois anos para que ela esteja pronta.

6. Como prevenir?

Como até o momento o grande suspeito de causar o problema é o zika vírus, o ideal é evitar a propagação do Aedes aegypti, mosquito que também transmite a febre amarela, quatro tipos de dengue e o chikungunya, uma doença que ataca as articulações e provoca dores bastante intensas. O mosquito se prolifera em água limpa parada, por isso é importante evitar que ela se acumule em pneus, vasos de plantas e qualquer outro recipiente aberto. Para evitar picadas, use repelentes e telas nas janelas e portas.

7. Quais são os países afetados pela doença?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, somente em 2015, foram confirmados casos de zika em nove países das Américas: Brasil, Chile - na ilha de Páscoa -, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Suriname e Venezuela. Nesta semana, as autoridades norte-americanas confirmaram o primeiro caso de zika no país: um homem que vive no Texas. Ele visitou El Salvador recentemente.

No Brasil, não existem dados exatos de quantas pessoas foram infectadas pelo zika, já que ele não foi colocado no grupo de doenças com notificação compulsória. No entanto, uma estimativa do Ministério da Saúde, afirma que o número de casos pode ter variado entre 497.593 e 1.482.701. Como a zika tem sintomas parecidos ao da dengue, muitos casos de zika também podem ter sido registrados nos sistemas de saúde como dengue - a epidemia teve um recorde no ano passado, com 1,6 milhão de casos.

A Colômbia é outro país com alto número de infectados: ao menos 11.000 casos confirmados, segundo as informações mais recentes.

8. Qual é a relação entre o zika vírus e a microcefalia?

No final de novembro, após uma alta incidência da doença em alguns Estados no Brasil onde também há alta do número de casos de zika vírus, foi confirmada, pelo ministério da Saúde a relação entre o zika e a microcefalia. A evidência ocorreu após um estudo que detectou a presença do vírus em amostras de sangue coletadas de um bebê que nasceu com microcefalia no Ceará e acabou morrendo.

Ainda não se sabe como o vírus atua no organismo humano ou quais mecanismos levam à microcefalia, mas os casos estão sendo investigados.

No Brasil, o mais recente boletim epidemiológico contabiliza 3.530 casos de microcefalia suspeitos de estarem relacionados à infecção pelo zika entre outubro de 2015 e dia 11 de janeiro deste ano. Estão em investigação 46 óbitos de bebês.

Na semana passada, os Estados Unidos registraram o primeiro caso de microcefalia ligado ao zika vírus, no Havaí. Segundo informou o jornal The New York Times, a mãe do bebê teria sido infectada pela doença quando viajou ao Brasil, em maio do ano passado.

9. Quais são as recomendações para mulheres grávidas?

Nos Estados Unidos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças recomenda que mulheres grávidas evitem viajar a 14 países da América Latina, dentre eles, Brasil, Porto Rico e Colômbia.

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que as mulheres grávidas se protejam da picada de insetos com repelentes, evitem horários e lugares com a presença de mosquitos e usem roupas que protejam a maior parte do corpo.

10. O zika já provocou mortes?

No Brasil, até o momento, o Ministério da Saúde confirma três mortes possivelmente relacionadas ao vírus zika: um bebê, um homem que também tinha lúpus e uma menina de 16 anos.

Fonte: http://brasil.elpais.com/

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: