26 de out de 2015

Publicado em:

Fechou o tempo

artigos

Piada da semana: Cunha chorou ao ver sua foto mostrada pelo banco suíço, dizendo que tinha encontrado seu irmão gêmeo desaparecido há anos. O que parece piada, mas não é, é que a oposição fechou os olhos à corrupção de Cunha para tentar o impeachment da Presidenta – e com qual fundo moral? Combate à corrupção. As pessoas comuns, que não gostam de política, sentem revolta e desânimo. A impunidade do Cunha, flagrado com a mão na massa, gera descrédito no país.

O tempo fechou em Brasília, um grupo querendo derrubar o outro. As expressões “o tempo” e “o clima” são metáforas habituais das relações humanas. É fundamental para a agricultura, interfere no comércio e influencia até o humor das pessoas. Pois o tempo fechou no sul do país também, com inundações e desabrigados, enquanto outros estados, ao contrário, vivem secas dramáticas.

“É verdade mesmo o aquecimento global?”, me perguntou uma familiar, de formação universitária, de quem eu não esperaria dúvidas sobre os cientistas do IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change, órgão das Nações Unidas. Mas essas dúvidas não surgem à toa, são fruto de um trabalho profissional de “desconstrução” da imagem do IPCC, com cientistas contratados para colocarem em dúvida os alertas oficiais. Revistas semanais brasileiras já publicaram entrevistas com esses plantadores de dúvidas. Que eles são contratados por grandes empresas de petróleo quem afirma é o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore, que portanto não é um “denuncista” qualquer e nem mesmo um crítico do capitalismo. Al Gore tem descrito em seus livros e vídeos essa estratégia altamente profissional de contratar cientistas para levantarem dúvidas contra o IPCC.

Um político brasileiro, relator de projetos que favoreceram o desmatamento, desafiou o alerta científico, pois ocorria na época uma temporada de frio no país. Ocorre que a previsão do aquecimento global não é de um retilíneo aquecimento mas sim de, em primeiro lugar, um grande aumento na amplitude térmica.

Mais intensidade do calor, mais intensidade do frio, mais intensidade das chuvas, mais intensidade das secas. Lutzemberguer explicava que “a Amazônia não é o pulmão, é o ar condicionado do planeta”. Estamos perdendo em primeiro lugar é o equilíbrio, a regulação do tempo, numa faixa térmica que era ideal à vida humana e com chuvas regulares.

O Papa Francisco foi o primeiro Papa a fazer esse alerta. Obama também é o primeiro presidente de um império a admitir a crise climática.

No Brasil houve períodos em que Exército, Aeronáutica e Polícia Federal foram mobilizadas pelo Ministério do Meio Ambiente para combater o desmatamento ilegal. Hoje, essas forças estão desmobilizadas – e nós, abaixo de mau tempo.

Montserrat Martins, Colunista do Portal EcoDebate, é médico psiquiatra, bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais e presidente do IGS – Instituto Gaúcho da Sustentabilidade.

Fonte: http://www.ecodebate.com.br

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: