29 de jul de 2015

Publicado em: ,

PARANAGUÁ 367 ANOS

notícias variedades
Do porto ao mercadão do peixe ou do artesanato, os pontos turísticos de Paranaguá, no litoral paranaense, mantêm viva a sua história, que no dia de hoje completa 367 anos. Ao percorrer as ruas da cidade mais antiga do Paraná, o visitante reconhece que o passado histórico da região continua presente no cotidiano e na memória dos habitantes do local.



O povoamento do litoral paranaense começou por volta de 1550, na ilha da Cotinga. Duas décadas depois, os pioneiros, à frente Domingos Peneda, conquistaram a margem esquerda do rio Taguaré (Itiberê) habitado pela tribo indígena Carijó. Atraídos pelas notícias da existência de ouro que presumia-se existir nas chamadas terras de Sant'Ana, ao sul da Capitania de São Vicente, vicentinos e cananeenses intensificaram a navegação em busca de riquezas que o território talvez pudesse oferecer. Paranaguá é considerado o primeiro município fundado no Paraná, fato que deu-se através de carta régia de 1648.

A partir de 1549 a costa litorânea paranaense já era conhecida e habitada pelo branco europeu. Foi efetivando-se uma povoação e, em 1578, existia uma pequena capela sob a invocação de Nossa Senhora do Rosário. Em 1614 Diogo de Unhate, tabelião em São Vicente, obteve a primeira sesmaria em terras paranaenses, localizada entre os rios Ararapira e Superagui. Em 1640 Gabriel de Lara, que passou para a história como o "capitão-povoador", chegou a Paranaguá, sendo que após seu estabelecimento, fez erguer o Pelourinho em 6 de janeiro de 1646, símbolo máximo da justiça e do poder lusitano. Nesse mesmo ano Gabriel de Lara anunciou descobrimento de ouro em Paranaguá. Com essa notícia iniciou-se oficialmente o ciclo da mineração aurífera no Paraná. A presença de tantas autoridades nesta região, acabou despertando a atenção e o interesse de muita gente. A partir do núcleo Paranaguá, outras regiões foram atingidas: Tagassaba, Serra Negra, Faisqueira e os rios do Pinto, Guarumbi, Cubatão e outros lugares.

Paranaguá cresceu tanto que no ano de 1660 foi transformada em Capitania, sendo Gabriel de Lara nomeado ouvidor, alcaide-mor e capitão-mor. A Capitania de Paranaguá foi extinta em 1710, e anexada à de São Paulo, sendo que por provisão de 21 de agosto de 1724, foi nomeado o primeiro ouvidor pós capitania, o dr. Antônio Alves Lanhas Peixoto.

Em 1749 iniciou-se a desagregação do imenso território parnanguara, com a criação da ouvidoria de Santa Catarina. Em 1812 foi criada a comarca de São Pedro do Rio Grande do Sul, sendo que nessa mesma data a sede da ouvidoria de Paranaguá foi transferida para Curitiba. A partir de 29 de novembro de 1832, as ouvidorias foram extintas, sendo que nesse período iniciava-se a tomada efetiva de povoamento dos Campos Gerais do Paraná. A localização geográfica permitiu, ao longo de sua existência, que Paranaguá participasse de ações militares, tanto que foi construída a Fortaleza da Ilha do Mel, sem que, no entanto, fosse acionada para fins bélicos, pelo menos a contento. Atualmente é dos pontos turísticos mais visitados do município.

Um duro golpe à população de Paranaguá ocorreu devido a Revolução Federalista, em 1894. Nessa ocasião os Federalistas (insurretos gaúchos contrários ao governo legal), que haviam tomado de assalto o estado de Santa Catarina, atacaram simultaneamente o estado do Paraná em três frentes, Tijucas do Sul, Lapa e Paranaguá que ficou em mãos dos Federalistas por três meses e sete dias, só saindo dali no dia 24 de abril de 1894.

Em 1902 foi inaugurada a iluminação elétrica, em 1908 foi instalado o serviço telefônico e em 1914 o serviço de abastecimento de água e rede de esgotos. Em 1934 foram construídas as docas do Porto Dom Pedro II, com 450 metros de cais acostáveis. Posteriormente, esse mesmo porto foi modernizado, tornando-se um dos mais importantes do Brasil.

Atualmente o Porto de Paranaguá é a maior fonte de renda municipal, exportando produtos vindos, tanto pela moderna rodovia que liga o litoral a Curitiba, quanto pela linha férrea, cujos trilhos de aço, colocados nos contrafortes da serra, ainda no século passado, deram o pontapé inicial para transformar o Paraná provincial no estado moderno de hoje.

Conhecer Paranaguá é perceber nas paredes do casario colonial o testemunho da história. Experimentar Paranaguá é visitar a Ilha da Cotinga, a fortaleza da Ilha do Mel, a Catedral, o Colégio dos Jesuítas, a Fontinha onde, bem antes dos brancos, o povo carijó ia matar sua sede. É percorrer suas ruas, ver o rio e o mar de vários matizes, e ainda suas árvores, igrejas, museus, prédios e monumentos. Os visitantes também podem dançar um fandango e provar do barreado e do pirão de peixe, joias da culinária do local. Mas o bom mesmo é sair sem destino, inventando Paranaguá passo a passo. Mil surpresas aguardam o visitante. Afinal fazem quase quatrocentos anos que Paranaguá se enfeita para receber você.

Fonte: Guia Turístico do Litoral

Portal online da cidade de Paranaguá

Alfredo de Pontal

Autor & Editor

O portal Águas de Pontal abre as cortinas para mostrar o grande espetáculo da vida proporcionado pela Mãe Natureza e seus atores: o ser humano íntegro voltado à reconstrução.

 

Não perca nossas publicações...

Inscreva-se agora e receba todas as novidades em seu e-mail, é fácil e seguro!

Desenvolvido por YouSee Marketing Digital - Nós amamos o que fazemos
| Hosted in Google Servers with blogger technology |: